• Síntese PDI da UNICATÓLICA

SÍNTESE DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL – UNICATÓLICA

APRESENTAÇÃO

A Associação Educacional e Cultural de Quixadá (AECQ), com sede na cidade de Quixadá/CE, apresenta neste documento a síntese do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) de seu Mantido, o Centro Universitário Católica de Quixadá (Unicatólica), com vigência para o quinquênio de 2016 a 2020.
O PDI se caracteriza como um documento referencial que abrange o passado, presente e futuro da Instituição de Ensino Superior, que expressa, por meio de suas políticas, as concepções intrínsecas em relação ao ensino, iniciação científica/pesquisa e extensão.

O Plano apresenta os objetivos, metas e ações delineados para a Instituição, a priorizar a qualidade acadêmica e a sustentabilidade. Para tanto, sua elaboração seguiu as determinações do Decreto 5.773/2006, mais especificamente o teor do art. 16, e busca expressar a filosofia, missão, princípios, valores institucionais e sua visão de futuro.

Ressalta-se que as dimensões de ensino, iniciação científica/pesquisa e extensão estão balizadas nas diretrizes pedagógicas, religiosas e institucionais, e serviram para orientar a definição dos objetivos em cada dimensão.

Para sua construção foi composta uma comissão interna, representando todos os seguimentos acadêmicos e administrativos da Instituição, que se reuniu em diversos momentos para discutir os caminhos da Unicatólica para os próximos anos.

Em sua elaboração, foram considerados o documento antecessor, as normas regimentais, os relatórios de autoavaliação e a legislação educacional vigente que permitiram a consolidação de um documento reflexivo, doutrinário, estratégico e direcionador.

As análises do cenário onde o Centro Universitário está inserido também foram consideradas, sobretudo, para definir seu plano de expansão, de cursos e programas, bem como sua infraestrutura.

DA IDENTIFICAÇÃO

A AECQ, entidade civil de fins não econômicos, educacionais e beneficentes de assistência social, está registrada sob o n. 1.220, no Livro n. A-15, às fls. n.131 no Cartório do 2º Ofício de Quixadá, no Estado do Ceará (CE), e no Registro de Títulos e Documentos da Comarca de Quixadá, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda sob o n. 12.664.055/0001-8.

HISTÓRICO

Em meados do século XVII, começou no Brasil o processo de colonização por meio das sesmarias (movimento da Coroa Portuguesa que distribuía terras aos colonos em razão da política comercial de Portugal). No interior, a tomada das terras dos índios da nação Tapuia atingiu as tribos dos Canindés e dos Jenipapos, estabelecidos às margens do Rio Sitiá, em Quixadá.
Em razão da resistência dos índios a essa exploração, os colonizadores foram forçados a abandonar a região. Apenas em 1705, novas sesmarias foram de novo concedidas a Manoel Gomes de Oliveira e seu companheiro, André Moreira Barros. No dia 18 de dezembro de 1728, o coronel Carlos Azevedo adquiriu as terras denominadas “Sítio Quixedá”.

Em segunda negociação, realizada por seus herdeiros, essas terras foram vendidas a José de Barros Ferreira, em 1747. Este, vindo da cidade de Aracati, no leste do Estado, trouxe em sua bagagem a pequena imagem da Sagrada Família, hoje desaparecida, símbolo de sua fé Católica Apostólica Romana. Aqui, instalou uma fazenda e deu início à construção de uma Capela dedicada a Jesus, Maria e José, concluída tão somente em 1777.

A fazenda prosperou e deu lugar a um povoado que, em 1838, pela Lei nº 150, de 02 de setembro, recebeu um Juizado de Paz. Em 27 de outubro de 1870, pela Lei nº 1.347, Quixadá foi desmembrada de Quixeramobim e elevada à condição de Vila.

A Igreja institucional nasceu com a chegada do primeiro vigário nomeado para cuidar da Capela, o Pe. Cláudio Pereira de Faria, no dia 04 de fevereiro de 1870.
Jurisdicionada pela Diocese do Ceará (criada em 1853) e, posteriormente pela Arquidiocese de Fortaleza (assim erigida canonicamente aos 10 de novembro de 1915), Quixadá, juntamente com, à época, mais seis municípios do Sertão Central, foi erigida canonicamente como diocese no dia 13 de março de 1971, através da Bula Qui Summopere, de Sua Santidade, o Papa Paulo VI. A instalação da diocese se deu no dia 20 de agosto do mesmo ano, em presença do então Núncio Apostólico, Dom Humberto Mozzoni.
Para primeiro Bispo diocesano, o Santo Padre escolheu, no dia 21 de abril de 1971, o Pe. Joaquim Rufino do Rêgo, que ficou à frente da diocese por 15 anos. Dom Rufino desenvolveu a árdua missão de desbravar esse chão de muitos monólitos e muito castigado pelas secas, mas feito de um povo lutador e conhecido por sua forte devoção e fé a Nossa Senhora.
No dia 29 de maio de 1988, tomou posse como segundo Bispo diocesano, Dom Adélio Tomasin, em substituição a Dom Rufino, transferido para a diocese de Parnaíba. Dom Adélio chegou com o firme propósito de melhorar e ampliar as estruturas físicas e espirituais da diocese, tendo em vista, o desenvolvimento humano e cristão dos que aqui residiam; igualmente, deu continuidade à obra formativo-sacerdotal iniciada por seu antecessor. Assim, entre outras obras, construiu o Santuário de Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão e o novo Hospital Maternidade Jesus, Maria, José, erigiu canonicamente o Seminário Maior de Quixadá e criou o Instituto Filosófico-Teológico Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão, gérmen da Faculdade Católica Rainha do Sertão.
Sucedeu a Dom Adélio, que renunciou em virtude da idade, o terceiro Bispo diocesano, Dom ngelo Pignoli, cuja posse da diocese de Quixadá se deu aos 25 de março de 2007. Atualmente no cargo, Dom ngelo está dando continuidade aos trabalhos espirituais e sociais, pastorais e educacionais dos seus antecessores.
Antes de estabilizar-se como Centro Universitário Católica de Quixadá, vigorava-se a Faculdade Católica Rainha do Sertão (FCRS), instituição de ensino superior mantida pela Associação Educacional e Cultura de Quixadá, constituindo-se como uma instituição isolada e particular. A FCRS foi credenciada junto ao Ministério da Educação nos termos da Portaria n. 1.270, de 25 de abril de 2002, publicada no Diário Oficial em 26 de abril de 2002, com sede no município de Quixadá, no Estado do Ceará.

Inicialmente, a Unicatólica foi constituída para dar formação às lideranças cristãs dirigidas às diversas paróquias que compõem a diocese. Com o fortalecimento do trabalho vocacional já existente no Centro Vocacional Pio XII e com o crescimento do número dos seminaristas, em 8 de dezembro de 1996, por meio do Decreto nº 28, Dom Joaquim Rufino do Rêgo, primeiro Bispo de Quixadá, criou o Instituto Filosófico Catequético para a formação filosófica dos seminaristas, mantendo ainda o objetivo inicial da formação catequética para lideranças leigas.
Tendo a primeira turma de filosofia concluído o biênio inicialmente proposto, viu-se a necessidade de dar continuidade à formação dos seminaristas começada no Instituto. Por isso, em 8 de dezembro de 1999, pelo Decreto nº 45, Dom Adélio Tomasin criou o curso de Teologia e o Instituto passou a ser chamado Instituto Filosófico-Teológico Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão (IFTNSIRS).
Posteriormente, a Faculdade Católica Rainha do Sertão deu início à abertura de cursos nas áreas de ciências sociais, ciências exatas e ciências da saúde. Atualmente, a Unicatólica conta com 19 cursos de graduação e 20 de pós-graduação.
O processo de autorização e reconhecimento dos cursos teve a seguinte cronologia:

2002
Curso de Bacharelado em Teologia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 1.271, de 25 de abril de 2002, com 30 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 570, de 21 de agosto de 2008.

2004
Curso de Bacharelado em Administração teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 158, de 12 de janeiro de 2004, com 200 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria DIREG/MEC nº 305, de 27 de dezembro de 2012.
Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 157, de 12 de janeiro de 2004, com 200 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria DIREG/MEC nº 274, de 14 de dezembro de 2012.
Curso de Bacharelado em Enfermagem teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 159, de 12 de janeiro de 2004, com 80 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 856, de 17 de novembro de 2008.
Curso de Bacharelado em Filosofia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 160, de 12 de janeiro de 2004, com 60 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 1.702, de 18 de outubro de 2010.
Curso de Bacharelado em Farmácia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 959, de 7 de abril de 2004, com 60 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 190, de 01 de outubro de 2012.
Curso de Bacharelado em Fisioterapia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 958, de 7 de abril de 2004, com 100 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 133, de 27 de julho de 2012.

2005
Curso de Bacharelado em Direito teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 279, de 27 de janeiro de 2005, com 80 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 489, de 20 de dezembro de 2011.
Curso de Bacharelado em Psicologia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 521, de 18 de fevereiro de 2005, com 88 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 04, de 24 de janeiro de 2012.
Curso de Bacharelado em Biomedicina teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 3.900, de 14 de novembro de 2005, com 100 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 481, de 22 de fevereiro de 2011.
Curso de Licenciatura em Educação Física teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 3.904, de 14 de novembro de 2005, com 100 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 288, de 22 de julho de 2011.

2006
Curso de Bacharelado em Odontologia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 172, de 20 de janeiro de 2006, com 80 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 445, de 01 de novembro de 2011.

2007
Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC nº 555, de 26 de junho de 2007, com 100 vagas anuais. Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº 479, de 01 de novembro de 2011.

2008
Curso de Bacharelado em Engenharia Mecânica teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 1.110, de 19 de dezembro de 2008, com 90 vagas anuais.

2009
Curso de Bacharelado em Engenharia da Produção teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 890, de 15 de julho de 2009, com 90 vagas anuais.
Curso de Bacharelado em Engenharia Mecatrônica teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 1.619, de 13 de novembro de 2009, com 90 vagas anuais.

2010
Curso de Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 130, de 08 de fevereiro de 2010, com 90 vagas anuais.

2014
Curso de Bacharelado em Educação Física teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 209, de 27 de março de 2014, com 100 vagas anuais.
Curso de Licenciatura em Filosofia teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 209, de 27 de março de 2014, com 100 vagas anuais.
Curso Superior Tecnológico em Sistemas para Internet teve seu funcionamento autorizado pela Portaria MEC/SESu nº 209, de 27 de março de 2014, com 100 vagas anuais.

Hoje, além dos cursos de graduação, a Instituição também oferta cursos de Pós-graduação (lato sensu) nas áreas de Educação e Formação Humana, Exatas e Tecnológicas, Formação Jurídica, Gestão e Negócios, Saúde e Bem-Estar, ofertando cursos, ainda, nos Municípios de Baturité/CE, Boa Viagem/CE e Tianguá/CE.
As ações em desenvolvimento associam-se às condições econômicas, financeiras e estruturais no desenvolvimento das atividades de ensino de graduação, integração institucional com o setor produtivo, empresas públicas e privadas, conselhos, sindicatos e outras entidades organizadas, com destaque para o atendimento social realizado no âmbito dos cursos ofertados.
Da mesma forma, a Mantenedora tem buscado maior proximidade com o mercado de trabalho, visando à promoção do exercício profissional, valorizando os programas de promoção de educação continuada para egressos e para atendimento a demandas sociais de formação, especialização, adaptação e atualização profissional.
O Centro Universitário Católica de Quixadá oferece formação em diferentes áreas de conhecimento, com estruturação disciplinar sistêmica e organizada, atualizada às tendências nacionais e internacionais, mantendo a integração com as características locais. Para tanto, desenvolve uma proposta pedagógica promovendo estreita articulação com entidades organizadas de seu entorno, bem como de representação e associação de profissionais liberais autônomos.
Com relação ao corpo docente, a Unicatólica vem ampliando a contratação de profissionais com a titulação acadêmica em nível de mestrado e doutorado, bem como o regime de trabalho em tempo integral, implantando o Núcleo Docente Estruturante (NDE) em todos os cursos oferecidos.
O acompanhamento aos egressos está sendo alcançado através de encontros periódicos de avaliação e reflexão sobre a inserção no mercado de trabalho.

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

O Centro universitário Católica de Quixadá conta com órgãos deliberativos, normativos, executivos e complementares que serão responsáveis pelo bom desempenho dos cursos e programas da Instituição.
Os órgãos deliberativos e normativos da administração superior são constituídos pelo:

  • Conselho Superior (CONSU);
  • Conselho Superior de Ensino Pesquisa e Extensão (CONSEPE).

Os órgãos executivos da administração superior são compostos pela:

  • Direção Geral;
  • Diretoria Acadêmica;
  • Diretoria Administrativo-Financeira.

Esses órgãos e setores detêm a atribuição e composição definidas no Regimento Geral e em regulamento próprio.

CONTEXTO CULTURAL E SOCIOECONÔMICO DA REGIÃO

Localizada na Rua Juvêncio Alves, nº 660, no Centro da cidade de Quixadá, a Unicatólica está inserida na mesorregião dos Sertões Cearenses, na área central do Estado do Ceará e na microrregião dos Sertões de Quixeramobim, formada por Quixadá e mais seis municípios.
Os cursos ofertados assistem aos municípios do entorno, oportunizando graduação, aperfeiçoamento profissional (cursos de curta duração) e inserção nas áreas de ciências jurídicas e de gestão, ciências da saúde, engenharias, arquitetura e ciências humanas, além de programas e projetos voltados ao bem-estar social da comunidade em uma área de influência de, aproximadamente, 150 km em raio.
A região de abrangência engloba, além de Quixadá, os municípios de Acarape, Aracoiaba, Aratuba, Banabuiú, Barreira, Baturité, Boa Viagem, Canindé, Capistrano, Caridade, Choró, Chorozinho, Guaramiranga, Ibaretama, Ibicuitinga, Itapiúna, Itatira, Jaguaretama, Jaguaribara, Madalena, Milhã, Morada Nova, Mulungu, Ocara, Pacoti, Palmácia, Pedra Branca, Quixeramobim, Redenção, São João do Jaguaribe, Senador Pompeu e Solonópole.
Desse modo, a Instituição reforça seu compromisso com a região central do Estado do Ceará, englobando, ainda, parte das mesorregiões de Jaguaribe e Sertões Cearenses. A figura a seguir retrata graficamente a área de influência da Instituição.

Região de influência da Unicatólica no raio de 150 km

Síntese PDI - UNICATÓLICA

Fonte: IPC Maps, 2011.

Destaca-se que a área de influência recebe benefícios diretos do Centro Universitário e contribuição social significativa que deve estar aliada aos compromissos do governo estadual, municipal e federal, e também da Igreja Católica Apostólica Romana, na busca pelo desenvolvimento regional. O foco no atendimento da região, com base na localização central em Quixadá-CE, contribui para a ampliação do potencial da mão de obra em várias localidades do Estado.