• Blog UniCatólica

Staniando: Se a vida começa aos quarenta, por que nascemos com tanta antecedência?
Staniando

Staniando: Se a vida começa aos quarenta, por que nascemos com tanta antecedência?

Por Prof.ª Dra. Stânia Vasconcelos

O assunto do Staniando deste mês? Idade. Sim, tempo e idade, melhor dizendo, maturidade. Por isso, iniciamos com esta indagação da famosa Mafalda, minha companheira de época: Se a vida começa aos quarenta, por que nascemos com tanta antecedência?

Confesso que, quando era mais nova, costumava ter muito medo de envelhecer. Quando cheguei aos 40 anos, percebi minha maturidade, o aprendizado da caminhada. Senti a transformação e ali nascia uma mulher de verdade, pronta para enfrentar a vida, de cabeça erguida.

Depois chegaram os cinquenta. Olho para traz e vejo muitos sucessos, conquistas, caídas e reerguidas, tanto a nível pessoal quanto profissional. É bom chegar à essa idade, olhar em volta e perceber tudo aquilo que se conseguiu: ter um cônjuge que ama você e a quem ama de volta. Os filhos já cresceram, começaram os seus próprios projetos profissionais e já me deram um neto que tanto adoro (estou no aguardo de mais!). A longa carreira profissional já conta com muitas conquistas.

E ali, naquela época, com meio século de vida, tomei a decisão de que deveria continuar sorrindo muito, abraçando muito as pessoas que amo e enchendo minha vida de amor. Tenho certeza de que essa é a receita de uma vida completa.

Ao longo de meio século, foram muitas as conquistas e sucessos. Claro que, ao longo da minha caminhada, houve retrocessos, muitas perdas familiares queridas e valiosas, mas nunca desisti nem deixei de acreditar nos meus objetivos. Com cada queda, vinha uma lição e, após cada uma, me reerguia mais forte. Hoje, tento reunir a sabedoria adquirida com os anos aos sucessos conquistados e à fé de que tudo foi e é possível porque Ele estava, está e estará ao meu lado.

19 de dezembro de 2020, o dia mais esperado, o dos meus 60 anos, chegou, finalmente! A principal lição a tirar é que, por muitos planos que se faça, só Deus sabe como tudo ocorre.

60 anos! Mal posso acreditar em como a vida anda passando depressa. Achei que acordaria diferente naquele dia. Mais sábia, mais equilibrada, mais pacífica, mais serena e com uma incrível habilidade de fazer trabalhos manuais, daquelas que o tempo ensina. Que acordaria mais pesada com o peso dos anos em mim, tudo estaria mudado, acordaria mais envelhecida. Bobagem! Acordei com as mesmas dúvidas, as poucas certezas, pensamentos meio loucos e meus famosos lapsos de sabedoria inesperados. Minhas mãos continuam sem habilidade nenhuma nem mesmo para pregar uns botões.

Nada envelheceu em mim. Sinto-me, confesso a vocês, que estou mais esperta, mais prudente, mais sábia, mais dona de mim. Sei exatamente o que quero e quando quero. Sou mais autêntica, mais verdadeira. Continuo estranhando quando a moça do caixa do supermercado me chama de senhora. Como assim? Senhora? Só tenho 20, fiz ontem?! (Risos)

O ânimo que sinto atravessou os 40 anos que separam a menina que acabou de completar 20 anos em uma noite do dia 19 de dezembro e chegou intacto à mulher que acordou na manhã ensolarada do dia 20.

Não. Não troco a mulher que acordou no dia seguinte pela menina do ano 2000. Não tenho mais o frescor e a beleza daquela menina, mas tenho uma personalidade e uma determinação que me fazem prosseguir sempre. É claro que tenho muitas coisas para lhes contar. Esta mulher viveu de tudo um pouco: viveu dores, viveu alegrias. Riu e chorou. E, ao final, ficaram as risadas.

Parabéns para mim e que a vida me continue a trazer surpresas!

Por: Eliane Rodrigues

Deixe seu comentário