• Blog UniCatólica

Agosto: o mês dedicado às vocações
PASTORAL UNIVERSITÁRIA

Agosto: o mês dedicado às vocações

Neste mês de agosto, a Igreja celebra as vocações: sacerdotal, familiar, religiosa e leiga. É um mês voltado para a reflexão e a oração pelas vocações e ministérios, de forma a pedir a Deus cristãos que sejam verdadeiros sinais de comunhão e unidade no seio da Igreja. “Não foste vós que me escolhestes, fui eu que vos escolhi…” (Jo 15, 16). Instituído na XIX Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em 1981, o Mês Vocacional tem como objetivo conscientizar as comunidades da responsabilidade que elas compartilham no processo vocacional. A Igreja tem buscado celebrar este mês com animação e criatividade, suscitando novas vocações e animando as já existentes.

Durante o mês, cada domingo é reservado para a reflexão e celebração de uma vocação. No primeiro domingo – vocações sacerdotais, os sacerdotes (bispos e padres) agem em nome de Cristo e são representantes dentro das comunidades. Aos sacerdotes compete serem pastores e pais espirituais para todos sob as suas responsabilidades. Pela caridade pastoral, eles devem buscar serem sinal de unidade e contribuir para a edificação e crescimento das comunidades de forma que elas se tornem cada vez mais atuantes e verdadeiras na vivência do Evangelho.

No segundo domingo – vocação familiar, celebramos a vocação da família nas pessoas do pai e da mãe. Em tempos de violência e perda de valores, a valorização da família é essencial para a sociedade como um todo. A família é chamada, por Deus, a ser testemunha do amor e da fraternidade, colaboradora da obra da Criação. O pai e a mãe na família são fundamentais, seus papéis de educadores são pilares da unidade e bem-estar familiar cujos frutos são filhos bem formados e conscientes do que significa ser cristão e cidadãos. Os pais são representantes legítimos de Deus perante os filhos e é sua missão conduzi-los nos caminhos de Cristo, da verdade, da justiça e da paz.

No terceiro domingo – vocações religiosas, a Igreja lembra dos religiosos, homens e mulheres que consagram suas vidas a Deus e ao próximo. Desta vocação brotam carismas e atuações que enriquecem nossas comunidades com pessoas que buscam viver verdadeiramente seus votos de pobreza, castidade e obediência, são testemunhas vivas do Evangelho. Perseverantes, os religiosos estão a serviço do Povo de Deus por meio da oração, das missões da educação e das obras de caridade, com sua vida consagrada, eles demonstram que a vida evangélica é plenamente possível de ser vivida mesmo em um mundo excessivamente material e consumista. São sinais do amor de Deus e da entrega que o homem é capaz de fazer ao Senhor.

No quarto domingo – vocações leigas, celebramos todos os leigos que entre família e afazeres, dedicam-se aos trabalhos pastorais e também missionários. Os leigos atuam como colaboradores dos padres na catequese, na liturgia, nos ministérios de música, nas obras de caridade e nas diversas pastorais existentes. Ser leigo atuante é ter consciência do chamado de Deus a participar ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a caminhada e o crescimento das comunidades rumo a Pátria Celeste, assumir esta vocação é doar-se pelo Evangelho e estar junto a Cristo em sua missão de salvação.

Por: Eliane Rodrigues

Deixe seu comentário