• Blog UniCatólica

Comitê de Ética em Pesquisa UniCatólica: Experiência enriquecedora
Institucional

Comitê de Ética em Pesquisa UniCatólica: Experiência enriquecedora

O alcance ético das pesquisas científicas aprimorou-se com a formação dos comitês de ética nas pesquisas institucionais no Brasil e em todo o mundo. O objetivo maior desses comitês é assegurar direitos e deveres da comunidade científica e dos participantes de pesquisas. Para tal, a legislação vigente incorporou, expressamente, os princípios de autonomia, não maleficência, beneficência e justiça. Esses princípios compõem os referenciais básicos da bioética.

Uma das funções exercidas pelo Comitê de Ética em Pesquisa é buscar meios de exercer o controle social para a busca de tratamento humanizado aos participantes envolvidos nas pesquisas. Além de informar e educar seus membros e a comunidade quanto a sua função no controle social.

Nossos pareceristas falam da experiência como membros do CEP. “Sinto-me acolhida, pois o CEP UniCatólica nos enriquece pessoalmente e profissionalmente por meio de encontros, palestras, conferências, discussão de casos e abordagem de temas bioéticos de forma eventual. A participação do colegiado interdisciplinar e independente no CEP avalia projetos de maneira que nos proporciona conhecimento das mais diferentes áreas. O convívio é salutar e respeitoso, além de muito enriquecedor” declarou a Prof.ª Sofia Vasconcelos, do curso de Odontologia.

“Fazer parte do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UniCatólica é uma rica experiência tanto por poder contribuir com a qualidade ética das pesquisas, uma vez que a missão assumida é a de guardiã dos direitos e da dignidade de todas as pessoas participantes de pesquisas, em busca do aprimoramento da vida humana em sociedade, quanto por ter a oportunidade de aprender com o processo consubstanciado, próprio de todo CEP, disparados pelos diversos tipos de estudos que são apreciados por cada membro, o que agrega, em cada um, mais conhecimento e mais compromisso com a bioética” afirmou a Prof.ª Mariza Barbosa, do curso de Fisioterapia.

Por: Eduardo Sousa

Deixe seu comentário